Devora-me

1993

Devora-me
    • Cora Coração (Corazón) (Glenn Monroig / versão: Cláudio Rabello) Letra


      Cora, cora, cora, coração, meu coração

      Meu coração, meu coração

      Cora, cora, cora, coração, meu coração

      Meu coração, meu cora, cora, cora

       

      Cora, cora, cora, coração, meu coração

      Meu coração, meu coração

      Cora, cora, cora, coração, meu coração

      Coração

       

      Não consigo meu bem compreender

      Por que me feres sem uma razão

      Será verdade o que me contam que

      Estás sugando o meu coração

       

      Eu digo que não pode ser

      Porque como eu não há outra mulher

      Cuidado ao apagar a luz

      Cuidado pra não deixar de jejum

      O meu coração

       

      Só sentir daqui teu corpo arder

      Arde meu corpo com satisfação

      Por isso mesmo da próxima vez

      Eu vou ouvir melhor meu coração

       

      Que me dirá que não confie mais

      O que tu me prometes não és capaz

      É tão covarde o meu amor

      Quando me tocas

      Perco o controle do meu coração

       

      Tenho tentado

      Tirar você da minha mente

      Mas meu corpo todo se ressente

      Tu me deixas louca com teus beijos

      Logo me declaro presa desse amor


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Percussão baiana: Repolho, Firmino e Marcos Lobo

      Pandeiro: Zizinho e Chacal

      Timbal: Trambique

      Bongô: Amauri

      Cuíca: Zeca da Cuíca

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Fernando Adour, Ricardo Magno, Kika Tristão, Aline Cabral, Jussara Lourenço e Betina

    • Devora-me Outra Vez (Ven Devorame Otra Vez) (Palmer Hernandez / versão: Fausto Nilo) Letra


      No silêncio da noite vazia teu amor voraz

      Enlouquece o balanço das horas

      Querendo mais

      Derramando a lua da praia

      Sobre meu lençol

      E é por isso que eu nunca te espero

      Sob a luz do sol

       

      Em meus sonhos eu sempre te vejo

      Devorando-me

      Arrastada por esse desejo

      Vou até o fim

      Nessa hora ninguém como tu

      Que me ama com a fome do amor

      Que aquece meu nome

      Beijando meu corpo

      Que cai num abismo maior

      Vem

       

      Devora-me outra vez

      Devora-me outra vez

      Me abraça, me toca e machuca

      Me leva até onde eu nem sei

       

      Devora-me outra vez

      Devora-me outra vez

      Me castiga com os seus desejos

      Que este amor eu guardei só pra ti

       

      Devorame otra vez

      Devorame otra vez

      Suavecito lentamente

      De la cabeza hasta los pies

      Hasta los pies

       

      Devorame otra vez

      Devorame otra vez

      Em meus sonhos eu sempre te vejo

      Devorandome, devorame, devorame,

       

      Devorame otra vez

      Devorame otra vez

      Devorame otra vez

      Devorame otra vez

       

      Devorame otra vez

      Devorame otra vez

      No silencio da noite vazia

      Seu amor me devora a vida

       

      Devorame otra vez

      Devorame otra vez

      Que aquece meu nome

      Beijando meu corpo

      Que cai num abismo maior

      Vem


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Surdo e repique: Repolho, Firmino e Marcos Lobo

      Bongô, conga, timbales e chequerê: Carlos “Migie” Rodriguez

      Baixo: Junior Irizarry

      Guitarra: Jorge Laboy

      Piano: Frankie Suárez

      Trombones: Rafi Torres e Jorge Diaz

      Trompete: Loui O. Aquino

      Sax: José “Furito” Rios

      Orquestração adicional de sopros: Marco Muñoz

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Fernando Adour, Ricardo Magno, Kika Tristão, Aline Cabral, Jussara Lourenço e Betina

    • Magalenha (Carlinhos Brown) Letra


      Vem Magalenha rojão

      Traz a lenha pro fogão

      Vem fazer armação

      Hoje é um dia de sol

      Alegria de coió é curtir o verão

       

      Tê tê tê terê tê

      Tê tê tê terê tê

       

      Vem Magalenha rojão

      Traz a senha pro fogão

      Tê tê tê coração

      Hoje é um dia de sol

      Alegria de xodó

      Meu dever de verão

       

      Calango lango no calango da pretinha

      Tô cantando essa mudinha pra senhora se lembrar

      Daquele tempo que vivia lá na roça

      Com uma filha na barriga

      E outra filha pra criar


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Acordeom: Oswaldinho do Acordeom

      Percussão: Firmino

      Surdo e repique: Repolho, Firmino e Marcos Lobo

      Timbale e chequerê: Carlos “Migie” Rodriguez

      Congas: Paoli Mejías

      Baixo: Junior Irizarry

      Guitarra: Jorge Laboy

      Piano: Frankie Suárez

      Trombones: Rafi Torres e Jorge Diaz

      Trompete: Loui O. Aquino

      Sax: José “Furito” Rios

      Orquestração adicional de sopros: Marco Muñoz

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Fernando Adour, Ricardo Magno, Kika Tristão, Aline Cabral, Jussara Lourenço e Betina

    • Ouro (Armandinho Macedo / Fausto Nilo) Letra


      Você vai querer conquistar meu ouro

      Eu vou querer conquistar o seu tesouro

      E foi numa ilha do futuro

      Que maravilha me aconteceu

       

      Tava sem amar

      Pra quem tava sem amar

      Foi muito

      Tava sem amar

      Pra quem tava sem amar

      Foi louco

       

      Tua maré pra mim foi ouro

      Minha maré pra ti foi oi, oi, ô

      Beira do mar pra mim foi oi, oi, ô

      Amar, amar, assim

       

      Você vai querer conquistar meu ouro

      Eu vou querer

      Seu ouro, seu ouro

      Seu ouro, seu ouro, seu ouro


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Violão: Manassés

      Xique-xique e agogô: Firmino

      Percussão geral: Zizinho, Amauri, Trambique, Zeza da Cuíca e Chacal

      Timbales, bongô e chequeré: Carlos “Migie” Rodriguez

      Congas: Paoli Mejías

      Baixo: Junior Irizarry

      Guitarra: Jorge Laboy

      Piano: Frankie Suárez

      Trombones: Rafi Torres e Jorge Diaz

      Trompete: Loui O. Aquino

      Sax: José “Furito” Rios

      Orquestração adicional de sopros: Marco Muñoz

    • Porto Seguro (Durval Lelys) Letra


      Foi devagarinho, bem de mansinho

      Meu coração revirou o céu

      Entre as nuvens quentes fiquei sozinho

      Pensando em ti, me joguei no mar

       

      Vem me dar calor, vem me dar amor

      Tô aqui esperando você chegar

      Quero me envolver nessa tua dança

      Na lua mansa te namorar

       

      Ô, ô, ô, ô

      Que mexe

      Que mexe mais

      Que mexe

      Que mexe amor

      Seguro nessa cintura eu vou

      Que mexe mais

      Que mexe

      Que mexe amor

      Lembranças que dão saudade

      Nessa cidade, Porto Seguro

      Ainda me lembro de você

       

      Ouro, num olhar de tesouro

      Vem na pedra do mar

      Na pedra do mar, na pedra do mar

      Olha ê, olha ô


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Percussão: Firmino, Repolho e Marcos Lobo

      Congas: Paoli Mejías

      Bongô, congas, timbales e chequeré: Carlos “Migie” Rodriguez

      Baixo: Junior Irizarry

      Guitarra: Jorge Laboy

      Piano: Frankie Suárez

      Trombones: Rafi Torres e Jorge Diaz

      Trompete: Loui O. Aquino

      Sax: José “Furito” Rios

      Orquestração adicional de sopros: Marco Muñoz

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Fernando Adour, Ricardo Magno, Kika Tristão, Aline Cabral, Jussara Lourenço, Betina e Jurema Cândia

    • Indiado (Carlinhos Brown) Letra


      Todo ducado, todo capitão

      Todo lustrado, todo Nostradamus

      Todo indiado, todo indiano

      Tudo pintado, todo americano

       

      Uêlelelelê, uêlelelelá

      É convidado compareço a ser massa

      Uêlelelelê, uêlelelelá

      Que nesse páreo lamparina é ser Tarzan

       

      Joga dudun, joga didi

      Joga como o Rei Dali

      Seja pro-cru-duo

      Uma ama seca

      Seja pro-cru-duo

      Uma ama seca

       

      Ioiô fazendo quindim

      Veja Ioiô mexendo a pá, pá

      Ioiô fazendo quindim

      Veja Ioiô mexendo pá, pá

       

      Traça com traça com traça com traça

      Caixa com caixa com caixa com caixa

      Cata sucata com cata sucata


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Percussão: Firmino, Repolho e Marcos Lobo

      Congas: Paoli Mejías

      Bongô, congas, timbales e chequeré: Carlos “Migie” Rodriguez

      Baixo: Junior Irizarry

      Guitarra: Jorge Laboy

      Piano: Frankie Suárez

      Trombones: Rafi Torres e Jorge Diaz

      Trompete: Loui O. Aquino

      Sax: José “Furito” Rios

      Orquestração adicional de sopros: Marco Muñoz

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Fernando Adour, Ricardo Magno, Kika Tristão, Aline Cabral, Jussara Lourenço, Betina e Jurema Cândia

    • Força Interior (Fuerza Interior) (Glenn Monroig / Versão: Cláudio Rabello) Letra


      Sinto uma força que me protege

      A mesma que ampara sempre a minha gente

      É uma coisa maravilhosa

      Saber que se preciso

      A fé em nós resplandece

       

      Por um momento eu me perdi

      Não me encontrava

      Já quando a dor não mais cabia em minha alma

      Sem rancor nem ódio

      Foi com amor próprio

      Eu ganhei impulso

      Vem do mais profundo

      Essa é a

       

      Força interior

      Que me curou quando ferida

      Que me empurra pra cima da vida

      Força interior

      Que em mim se espalha como fogo

      Que se caio já se levantou

       

      Hoje renasço como um dia novo

      Ouvindo a minha voz

      Acima de tudo e de todos

      Viver é uma questão de direito

      Acordo de manhã

      E sinto a vida no peito

       

      Trago uma mescla de alegrias e tristezas

      E essa é a força que me corre pelas veias

      Sem rancor nem ódio

      Foi com amor próprio

      Eu ganhei impulso

      Vem do mais profundo


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Percussão: Firmino

      Triângulo: Amauri

      Surdo: Zizinho

      Pandeiro: Chacal

      Tamborim: Zeca da Cuíca e Trambique

      Congas e bará: Angel “Cachete” Maldonado

      Timbal: Charlie Sierra

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Fernando Adour, Ricardo Magno, Kika Tristão, Aline Cabral, Jussara Lourenço e Betina

    • Desesperada (Desesperado) (Mark Spiro / K. C. Porter / Glenn Monroig / Versão: Ronaldo Bastos)
      Música incidental: Wave (Tom Jobim)
      Letra


      Anos, meses, dias

      Noites frias de calor

      Enredado em corpos belos

      Só, sem um amor

       

      E agora que enfim está

      Nesse perfume do teu ser

      Começa a evaporar

      Não quero mais te perder

       

      Desesperada, assustada

      Procuro mais esse amor

      Desesperado

      E escapa outra vez

       

      Chuva, asfalto, luzes, carros

      Gente de ilusão

      Todo mundo busca

      E poucos acham o amor

       

      Agora que enfim está

      Estacionado em teu ser

      Sou presa do meu temor

      Não quero mais te rever

       

      Desesperada, assustada

      Buscando sempre um amor

      Desesperado

      Que me escapa outra vez

       

      Não quero tomar o rumo equivocado

      Por que diabos devo seguir?

       

      Desesperada, assustada

      Anos, meses, dias

      Noites frias de calor

      Desesperada, assustada

      Enredada em corpos belos

      Mas sozinha sem amor

      Desesperada, assustada

      Todo mundo busca e poucos acham o amor

      Desesperada, assustada

      Outra vez

       

      Desesperada, assustada

      Conheço os passos dessa estrada

      Sei que não vai dar em nada

      Desesperada, assustada

      Já me cansei de solidão

      Preciso ser amada

      Desesperada, assustada

      Buscando sempre um amor

      Desesperado

      Que me escapa outra vez


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Timbale e xique-xique: Firmino

      Timbal, bongô e congas: Repolho e Marcos Lobo

      Percussão geral: Zizinho, Amauri, Trambique, Zeza da Cuíca e Chacal

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Fernando Adour, Ricardo Magno, Kika Tristão, Aline Cabral, Jussara Lourenço e Betina

    • Trampolim (Ary Sperling / Cláudio Rabello) Letra


      Quem passou por mim

      E eu não vi

      Fez desse meu coração

      Um trampolim

      Que busca na paixão

      Alguém na multidão

      Alguém que sabe enfim

      Que sempre fez parte de mim

       

      Alguém que sabe quem eu sou

      Que foi por onde eu nunca vou

      Que fala o que eu não sei

      Que diz se eu já amei

      Por onde devo ir

       

      Em tantas vezes

      Eu te quis ao me tocar

      Noites que o tempo não levou

      Fosse apenas sonho

      Eu saberia ao acordar

      Mas o dia nasce

      E já me encontro a te querer

      Procurando os rastros desse amor

       

      E por não saber em quem estás

      Ou por não viver sem te levar em mim

      Vou onde não se vai

      Faço o que não se faz

      E vai ser sempre assim

      Até que a busca chegue ao fim


      FICHA TÉCNICA:

      Produção, arranjo, regência e teclados: Ary Sperling

      Acordeom: Zé Américo Bastos

      Flautas: Celso Woltzzenlogel e Mauro Senise

      Violinos: Giancarlo Pareschi, Alfredo Vidal, José Alves, Carmelita Reis, Walter Hack, Carlos Hack, Aizik, Leo Ortiz, Paschoal Perrota, João Jerônimo, Marcelo Pompeu e Hindenburgo

      Violas: Glauco Cruz, Frederick Stephany, Arlindo Penteado e Jesuína Passarotto

      Cellos: Marcio Mallard, Jacques Morelenbaum, Jorge Kundert e Luiz Zamith

      Mixagem: Jorge “Gordo” Guimarães

      Assistente: Julio Carneiro

    • Eu Quero Meu Amor (Assisão) Letra


      Eu quero meu amor

      Eu quero meu amor

      Eu quero meu amor aqui nesse forrozão

       

      Eu quero meu amor

      Eu quero meu amor

      Eu quero meu amor na quentura do salão

       

      Psiu, psiu, psiu, psiu

      Cala boca meu benzinho

      Esse amor é pra nós dois

      Psiu, psiu, psiu, psiu

      Nosso amor é proibido

      Esse chamego é pra depois

       

      Está fazendo frio

      Cadê minha paixão?

      Quero ser o dono do seu coração

       

      Doidão, vou ficar doidão

      Senão encontrar com meu amor

      Aqui nesse forrozão

      Doidão, doidão, doidão

      Senão encontrar o meu amor

      Aqui nesse forrozão


      FICHA TÉCNICA:

      Produção, arranjo, regência e teclados: Julinho Teixeira

      Baixo: Heber

      Bateria: Cesinha

      Violão: Manassés

      Acordeom: Marquinhos

      Sax alto: José Carlos

      Sax tenor: Raul Mascarenhas

      Trompetes: Bidinho e Formiga

      Trombone: Roberto Marques

      Percussão: Repolho

      Vocais: Betina, Jurema Cândia, Jurema Lourenço, Nair Cândia e Jussara Lourenço

    • Eu Sou o Carnaval (Moraes Moreira) Letra


      Eu sou o carnaval em cada esquina

      Do seu coração

      Eu sou o Pierrot e a Colombina

      Nas águas de Amaralina

      Que alucina a multidão

       

      Toda a cidade vai navegar

      No mar lá do Badauê

      Fazer tempero, se namorar

      Na massa do Massapê

       

      Tem baba de moça do Carapuá

      Ganzá, bongô, agogô pirar

      Tem baba de moça do Carapuá

      Ganzá, bongô, agogô pirar

       

      Pira, pira, pirar

      Pira, pira, pirar


      FICHA TÉCNICA:

      Bateria: Cesinha

      Acordeom: Oswaldinho do Acordeom

      Cavaquinho: Manassés

      Percussão geral: Zizinho, Amauri, Trambique, Zeza da Cuíca e Chacal

      Congas: Firmino

      Timbales, bongô e chequeré: Carlos “Migie” Rodriguez

      Congas: Paoli Mejías

      Baixo: Junior Irizarry

      Guitarra: Jorge Laboy

      Tambora, congas e guiro: Niki Suárez

      Flautas: José “Furito” Rios

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Fernando Adour, Ricardo Magno, Kika Tristão, Aline Cabral, Jussara Lourenço, Betina e Nair Cândia

    • Coração da Gente (Nando Cordel / João Wash) Letra


      Morena que dança no mar de alegria

      E faz a tribo cair na folia

      Tá que tá ficando bom o dia

      Vai ficar muito melhor minha energia

      Tá que tá ficando bom o dia

      Vai ficar muito melhor minha energia

       

      Sonho de salsa tropicaliente

      Quando encara

      Escancara o coração da gente

       

      Ô, ô, ô, tropicaliente

      Ô, ô, ô, enluarar

      O coração da gente

       

      Vou te cantar

      Mantras, boleros

      Te enluarar

      Repetindo “Ay como te quiero”

       

      Vou te contar

      Lendas de Havana

      Ritos de amor

      Sob a lua pan-americana


      FICHA TÉCNICA:

      Produção, arranjo, regência e teclados: Julinho Teixeira

      Baixo: Heber

      Bateria: Cesinha

      Violão: Manassés

      Acordeom: Marquinhos

      Sax alto: José Carlos

      Sax tenor: Raul Mascarenhas

      Trompetes: Bidinho e Formiga

      Trombone: Roberto Marques

      Percussão: Repolho, Marcos Lobo, Marcos Amma e Zizinho

      Vocais: Betina, Jurema Cândia, Jurema Lourenço, Nair Cândia e Jussara Lourenço

sjc-fallback

Se não bastasse ser popular brasileira, Elba agora é mais do que nunca popular sem fronteiras. Elba é definitivamente mundial. Numa das vozes mais abençoadas de sensualidade e pulsação brasilis, se faz esquina onde se esbarram e trocam uma ideia o frevo e o merengue, o afoxé e o reggae, o chorinho e a rumba, o forró e o rock, a gafieira e o terreiro, o samba e a salsa, a América Latina e o caboclo Brasil, os cinco continentes em um só.

Palco iluminado de uma voz nobre de simplicidade, que faz pular, faz pensar, a música de Elba Ramalho ensina a sonhar com a união das diferenças, tal como a sua combinação alucinante de ritmos.

Elba Ramalho é um prazer que pode ser experimentado e exaltado em todos os seus discos. Discos de garra, força, suor eletrizante e ternura feroz de uma cantora vendaval. Um vendaval que derrubou num só golpe de paixão o produtor porto-riquenho Glenn Monroig.

A soma do sol da Paraíba com o sol do Caribe resultou no azul quente de Devora-me, um disco que é um mergulho singular na ampla varanda musical de Elba. Gravado no La Mezza Luna, em Porto Rico, e na Polygram (coro, percussão e a voz de Elba), a antropofagia do título é a celebração da cantora à sua música e o desejo mágico de entrega total a seu público. Ritual de ritmos.

Devora-me é a síntese perfeita da energia ELBrasileira com a alquimia sonora de Monroig, que foi buscar nas raízes caribenhas e na cultura musical centro-latina o merengue apambichao (um dos ritmos mais antigos do mundo, da ilha de San Domingo), o songo (cubano), a salsa bomba (porto-riquenha), etc.O resultado? Só ouvindo o disco. Mas não procure referências, Elba Ramalho catalisa e devora tudo, brotando daí uma única definição – é Elba.

Cora, coração (Corazón) abre o disco com um quase rap (você tem que saber o que é rhythnandpoesy!), com o refrão-título da música banhado por uma base rítmica latina irresistível. A composição é de Monroig, que ganhou versão para português de Cláudio Rabello. Glenn entrega de bandeja para a interpretação vulcânica de Elba mais duas canções – Força interior (Fuerza interior), ao lado do compositor Luna, e versão de Rabello, e a bossamba (mais uma das misturas/definições de Glenn) “Desesperada (Desesperado)”, em parceria com Mark Spiro e KC Porter, versão de Ronaldo Bastos.

A melodia de Devora-me outra vez (Vem devorameotravez), de Palmer Hernandez, versão de Fausto Nilo, reúne num clima flamenco um refrão embebido de salsamba e uma letra pra lá de quente. Um sucesso certo. Magalenha, do mestre dos timbaus Carlinhos Brown, é o que se segue e arrasa! A música é uma mistura de forró capeta com um arranjo de metais tipicamente latino que explode em animação. O sambôngue (lá vem Glenn de novo com suas misturas) de Ouro, uma mescla de samba-reggae com bomba, de autoria de Armandinho e Fausto Nilo, é irrequieto. É ElbaRamalho como Porto Seguro, de Durval Lelys, que desce mansinho no ouvido, é um mexe-mexe romântico delicioso. Haja cintura!

Indiado é um baião pop music de Carlinhos Brown. Trampolim, uma delicada composição de Ary Sperling e Cláudio Rabello, traz uma Elba envolta em cordas e com um solo singelo de acordeom. Simplesmente belo! O forró volta com Assisão em Eu quero meu amor, um desafio para quem quer ficar parado. Não dá! Eu sou o carnaval, do repertório genial de Moraes Moreira, ganhou na voz de Elba Ramalho uma levada diferente e bela.

Devora-me fecha com Coração da gente, de Nando Cordel e João Wash, um tropi-caliente para devorar de vez os pés, os quadris, a cabeça e a alma. Salve Elba!

Devora-me é uma grande festa. Uma festa mágica de saudação ao ritmo, à própria música. Um disco elegante e sinuoso como a própria artista Elba. Artista que não se repete. Olha para o futuro. E o futuro da música é sempre se misturar cada vez mais. Expandir fronteiras. Expandir o próprio músico. Remexer as raízes para nascer novidade. E Elba é insaciável nesse devorar de novas ideias. Brasileira, sim senhor! Mas sem fronteiras!

 

Murillo Sant’Iago

(dezembro de 93)

@parent