Cirandeira

2001

Cirandeira
    • Cirandeira (Lenine)
      citação: Cirandeiro (Edu Lobo / Capinan)
      Letra


      Foi minha razão que me arrasou

      Que alterou o beat do meu coração

      Que bateu fora do compasso

      Atravessou, riscou no espaço

      E foi além dessa canção

       

      Eu na multidão

      Multiplicada em solidão

      Encouraçado coração

      Bate só no descompasso

      Sincopando o mesmo passo

      Sempre em sua direção

       

      Eu bem que tentei

      Contei te encontrar

      E o que eu naveguei

      A te procurar

      A onda que andei

      E aonde me levar

      Serei o seu mar, sereia

       

      Onda do mar

      Quem navegou foi Lia

      Folia de navegador

      Essa ciranda que me fez folia

      Fo Lia quem cirandeou (ô cirandeiro)

       

      Ô cirandeiro, ô

      Cirandeiro, cirandeiro, ô

      A pedra do seu anel

      Brilha mais do que o sol


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo e baixo: Marcos Farias

      Violão de nylon: Lenine

      Percussão: Paulinho He-Man

      Cello e flautas: Ocelo Mendonça

      Trombone: Alcimar Oliveira

    • Patativa (Vicente Celestino) Letra


      Acorda Patativa, vem cantar

      Relembra as madrugadas que lá vão

      E faz da sua janela o meu altar

      Escuta a minha eterna oração

       

      Eu vivo inutilmente a procurar

      Alguém que compreenda o meu amor

      E vejo que é destino o meu sofrer

      É padecer não encontrar

      Quem compreenda o trovador

       

      Eu tenho n’alma um vendaval sem fim

      E uma esperança que é se ter por mim

      O mesmo afeto que juravas ter

      Para que acabe esse meu sofrer

       

      Eu sei que juras cruelmente em vão

      Eu sei que preso tens o coração

      Eu sei que vives tristemente a ocultar

      Que a outro amas sem querer amar

       

      Mulher, o teu capricho vencerá

      E um dia sua loucura findará

      Adeus, a Deus minh’alma entregarei

      E de outro por injurio morrerei

       

      Amar, que sonho lindo, encantador

      Mais lindo porque minh’alma tem amor

      E tu vens se expressando sem razão

      A minha história e busco em vão

      O teu ingrato coração


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo de base e cordas, regência e sanfona: Marcos Farias

      Guitarra: Luiz Neto

      Violas: Tuco Marcondes

      Baixo: Jacaré

      Bateria: Camilo Mariano

      Percussão: Paulinho He-Man

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • Se Eu Tivesse Asa (Geraldo Azevedo / Geraldo Amaral) Letra


      Passarinho que vai praquele lado

      Leva um recado, voa ligeiro

      Diz ao meu amor

      Estou tão sozinho aqui

      Com uma saudade sem fim

       

      Passarinho se eu tivesse asa

      Não te pedia, eu mesmo ia

      Ver o meu amor, o meu amor

      Pedaço de céu

      Ardente desejo

      Apaixonado

      Eu quero o seu beijo

      Ficar ao seu lado e ser mais feliz

       

      Voa, voa, voa, passarinho

      Leve as penas do destino

      Vai ao meu amor contar

      Que eu não seu viver sem seu carinho

      Sinto falta dos seus braços

      E da luz do seu olhar


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo de base e cordas, regência, baixo e sanfona: Marcos Farias

      Violão de nylon: Geraldo Azevedo

      Gaita harmônica: Milton Guedes

      Bateria: Camilo Mariano

      Percussão: Paulinho He-Man

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • Alma Nua (Zeca Baleiro) Letra


      Nuvens passando sobre a minha cabeça

      Meu amor, me apareça

      Pra que eu possa te alcançar

      Roubando flores de uma natureza morta

      Se a beleza é o que importa

      Tanto faz rir ou chorar

       

      Dessa maneira eu vou

      A vida inteira

      Pra quem me queira eu tô

      Se dou bandeira

      É pra cantar pro meu amor

       

      Vou me arrastando

      Entre a vontade e o cansaço

      Sobre pétalas de aço vou pisando devagar

      Flores de plástico, eu sei, não tem espinho

      Mas quem segue o seu caminho

      Sem a dor onde vai dar

       

      Caçando rimas

      Ouvindo estrelas

      Mais leve, leve, que o ar, que o avião

      Fazendo juras

      A alma nua

      Tão quente quanto uma noite de São João


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo e violão de nylon: Zeca Baleiro

      Violão de aço e violão “dobro”: Tuco Marcondes

      Percussão: Paulinho He-Man

      Cello: Ocelo Mendonça

      Baixo: Marcos Farias

    • Onde Anda Você (Chico Pessoa / Zé do Norte) Letra


      Onde anda você

      Que procuro e não encontro

      Vê se ao menos telefona

      E me diga onde está

       

      Onde anda você

      Que não sai da minha vida

      E não vejo uma saída

      Pra poder te esquecer

       

      Meu coração parece viajar no tempo

      E acredita que um dia

      Você vai voltar pra mim

       

      É que ele bate mais feliz

      Quando te vejo

      Chega até me sufocar

      De imensa alegria

       

      De tanto medo de perder

      Foi que eu perdi

      E hoje conto as horas pra te ver

      Esperando esse dia

       

      Cadê você?

      Por favor, me telefona

      Não maltrate quem te ama

      Apareça nem que seja pra dizer adeus


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo, regência e sanfona: Marcos Farias

      Guitarra: Luiz Neto

      Saxofone: Milton Guedes

      Baixo: Jacaré

      Bateria: Camilo Mariano

      Percussão: Paulinho He-Man

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • Querendo Mais (Nando Cordel) Letra


      Eu vou me derramar

      Nesse teu amor

      E me deliciar

      Nesse teu amor

      Fazer o que pensar

      Nesse teu amor

      Ai, meu Deus, como é gostoso

      Ter o seu amor

       

      Meu coração dispara, fica doido

      Ta querendo fogo

      Ta querendo mais

      Você pra mim é uma estrela linda

      De toda maneira

      Sempre satisfaz

       

      Vem pra me ninar

      Vem cuidar de mim

      Minha vida é só te amar

      Vem me remexer

      Me fazer feliz

      Não consigo te deixar


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo de base, regência e sanfonas: Marcos Farias

      Guitarra: Luiz Neto

      Baixo: Jacaré

      Bateria: Camilo Mariano

      Percussão: Paulinho He-Man

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • Sem Ganzá Não é Coco (Chico César) Letra


      Coco sem ganzá não é coco

      Namoro sem beijar não é amor

      Morena da Penha

      Demore, mas venha

      Eu demoro, mas eu vou

       

      Quero ganzá, quero ganzá, quero ganzá

      Morena tem pena

      Tem pena no meu cocar

      Quero beijar, quero beijar, quero beijar

      Mas eu beijo com decoro

      Pro namoro demorar

       

      O coco tem que ter ganzá e pandeiro

      Um namoro maneiro, a morena tem que beijar

      Tem que gostar do beijo

      Pra gostar de ser beijada

      No coco de embolada

      E na pancada do ganzá


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo, violão e vocais: Chico César

      Percussão: Zelito Pitoco e Guilherme Untrup

      Baixo: Sawami Jr.

      Acordeom: Toninho Ferragutti

    • Pra Virar Xodó (João Gonçalves / Fubá de Taperoá) Letra


      Eu quero seu rostinho

      Coladinho no meu rosto

      Quero ver o seu pescoço

      No meu ombro a descansar

       

      Seu corpo todo suado

      Aguentando o meu repuxo

      Ralando bucho com bucho

      Deixa quem quiser falar

       

      Amor

      É o que eu tenho pra lhe dar

      Amor

      É o que eu tenho pra lhe dar

       

      Se ligue a noite inteira

      No repique do zabumba

      No piado da sanfona

      No balanço do forró

       

      Arrasta o pé no chão

      Que ta gostosa a brincadeira

      No balançar da poeira

      Você vira meu xodó


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo de base, regência e sanfonas: Marcos Farias

      Guitarra: Luiz Neto

      Baixo: Jacaré

      Bateria: Camilo Mariano

      Percussão: Paulinho He-Man

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • Pra se Aninhar (Targino Gondim) Letra


      Sinto falta de você

      Meu amor, não sei viver

      Junto a essa solidão

      Meus olhos andam cheios d’água

      Não escondo minha mágoa

      Estou sofrendo de paixão

       

      Vivo feito passarinho

      Que tá perdido no ninho

      E não encontro alguém

      Pra se aninhar

      Sou um sabiá ferido

      Sei que agora estou perdido

      Sem você pra me achar

       

      Sem você não há chamego

      Nem xodó e nem sossego

      E não encontro alguém

      Pra me acalmar

      Meu amor, meu amorzinho

      Pra nós dois ficar juntinho

      Tem meu ranchinho pra nós morar


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo de base, regência e sanfonas: Marcos Farias

      Guitarra: Luiz Neto

      Baixo: Jacaré

      Bateria: Camilo Mariano

      Percussão: Paulinho He-Man

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • Entre o Céu e o Mar (Roger Henri / Dudu Falcão) Letra


      Quantos labirintos

      Tem seu coração

      Pra eu me perder

      E te encontrar

       

      Quantas avenidas

      Tem o seu olhar

      Pra eu te seguir

      E me guiar

       

      Meu coração me leva

      Perto demais do seu

      Meu coração nem sabe por que

      O meu amor

      É bem maior que eu

       

      Quem sabe o destino

      Ainda vai juntar

      O céu e o mar

      Eu e você

       

      Quem de nós um dia

      Iria imaginar

      Que o amor pudesse

      Acontecer

       

      Seu coração é livre

      Tanto que prende o meu

      Seu coração nem sabe por que

      O meu amor

      É tão igual ao seu


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo, regência e programação: Julinho Teixeira

      Sax soprano: Zé Canuto

      Violinos: Bernardo Bessler (spalla), Michel Bessler, João Daltro, José Alves, Antonella Pareschi, Ricardo Amado, Paschoal Perrota, Walter Hack, Carlos Eduardo Hack, Carlos Eduardo Moreno, Paula Barbato e José Rogério

      Violas: Marie Christine Bessler, Jesuína Passaroto, José Ricardo Taboada e Eduardo Roberto

      Cellos: Márcio Mallard, Yura Ranevsky, Marcus Ribeiro e Hugo Pilger

      Vocais: Marcio Lott, Chico Puppo, Jussara Lourenço, Jurema Cândia, Ana Leuzinger e Viviane Godói

    • Forró de Surubim (Antônio Barros) Letra


      Ajunta os bebo

      No forró de Surubim

      Pra fazer cuim

      Para dar alteração

       

      Por qualquer besteira

      Puxa a faca (da bainha), fura o fole

      Vão lá dentro tomar gole

      De cachaça com limão

       

      É, mas Surubim

      Que é homem destemido

      Não tem medo do perigo

      Empunha a faca na mão

       

      Faz uma rosca

      Na ponta do bigode

      Com ele ninguém pode

      Só ele é valentão

       

      Surubim diz que o forró

      Só está mais animado

      Quando o pau está comendo

      Quando o fole está furado

      Quando apaga o candeeiro

      Quando é grande a confusão

      Quando vê a concertina

      Passando de mão em mão

      Quando vê os bebo mole

      De cachaça com limão


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo de base, regência e sanfonas: Marcos Farias

      Clarinete: Dirceu Leitte

      Baixo: Jacaré

      Zabumba: Coroné

      Triângulo e pandeiro: Luiz Cláudio

      Bateria: Camilo Mariano

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • Lua Vadia (J. Michiles) Letra


      Lua da minha janela

      Singela lua vadia

      Lua nova, lua cheia

      Poesia que clareia

      Minha rua, meu quintal

      Lua branca cristalina

      Brejeira lua menina

      Matutina, sensual

       

      Lamparina do universo

      Do meu verso solitário

      Minha reza, meu rosário

      Meu diário, meu cordel

      Meu romance clandestino

      Meu destino carrossel

      Minha doce namorada

      Minha amada lua de mel

       

      Quando à noite em minha cama

      Tua luz fogosa e bela

      Vem brechar minha janela

      Sobejar-me de emoção

      Corpo inteiro, toda nua

      És a lua do meu cio

      Do meu coração febril

      No vazio da solidão


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo de base, regência e sanfona: Marcos Farias

      Guitarra: Luiz Neto

      Guitarra “steel”: Rick Ferreira

      Baixo: Jacaré

      Percussão: Paulinho He-Man

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • O Amor é Lindo (Tony Gadelha / Afonso Gadelha / Glória Gadelha) Letra


      Quando você me quiser, amor

      Não me negue o sentimento

      Menina, a trama da vida é presente

      É fogo, é chama e carrega a gente

       

      Quando você entender, amor

      Que a vida também parte da dor

      Não quero que chore

      Quero que me olhe como um beija-flor

       

      Quando você me disser, amor

      Que deseja ter um ninho

      Menino, eu posso ser um passarinho

      Que canta e beija com muito carinho

       

      Mas se todo o seu desejo for

      Descobrir quando se sente o amor

      Chega como um toque

      E deixa o corpo mole como uma flor

       

      Olha nos meus olhos

      O amor é lindo

      Beija minha boca

      O amor é lindo

      Deita nos braços

      O amor é lindo


      FICHA TÉCNICA:

      Arranjo, sanfona, percussão, baixo e bateria: Marcos Farias

      Vocais: Lidiane Castro, Dinaléia e Elizeu

    • Estrela Soberana (Elba Ramalho / Geraldo Azevedo) Letra


      Senhora Mãe

      Divina luz

      Clara manhã

      Que nos conduz aos céus

      Estrela Soberana

      Maria, Miriam, me chama

      Acalma e banha

      A minha pobre alma

      Nas águas do seu coração

       

      Estrela d’água

      Rainha e paz

      Estrela, estrela

      Do amor demais

       

      Senhora, doce esplendor

      Derrama o mel de tua flor

      E abraça a terra

      Com seu manto azul

      Aromas, bálsamos de amor

      Senhora Mãe


      FICHA TÉCNICA:

      Violão de nylon: Geraldo Azevedo

sjc-fallback

É pra levantar poeira? Então pergunte a quem assistiu o show de Elba e Zé Ramalho no Rock in Rio III: nuvem alta de poeira, alegria e energia que se espalhou pelo mundo todo naquele dia. Elba elevou às nuvens a música popular brasileira com elegância, firmeza, maturidade e beleza e realizou um espetáculo que lavou a minha alma ­ me orgulhei mais ainda de ser brasileiro naquela tarde. E é por isso que eu acho estranho procurar no meu vocabulário os termos exatos para a difícil missão de descrever em poucas palavras Cirandeira, o novo CD de Elba. Acho melhor descrever o que sinto enquanto ouço.

Já tinha ouvido por telefone a musica de Lenine que dá nome a esse CD, a gravação de Elba só confirmou a porrada. Não acredito que exista alguém que ouça essa ciranda impune, sem sentir o gosto do mar de Itamaracá, mesmo sem ter nunca pisado por lá. Não cabe descrição, é uma porrada, e das mais bem intencionadas. Ah! Alcimar Oliveira desliza na harmonia um trombone feito uma jangada, lindamente.

Em Patativa, a poeira sobe de mansinho, começo de festa, hora de escolher seu par, a música já é uma cantada irresistível, quase sonsa, Vicente Celestino. Precisa explicar nada não, né?

Alma nua, de Zeca Baleiro, viaja mais pra dentro, fronteiras da Zona da Mata, as bradas da fogueira se misturando nas estrelas, dá vontade de ouvir várias vezes. Onde anda você, de Chico Pessoa e Zé do Norte, é deliciosamente verdadeira, mão na luva na voz de Elba.

Querendo mais, de Nando Cordel, é sensual, bate-coxa quase indecente, mesmo pra quem gosta e aí nem importa se sabe ou não dançar forró, a música ensina. E, se mesmo assim não adiantar, ela dança sozinha, é pra se derramar.

Sem ganzá não é coco escreve Chico César e explica: “O coco tem que ter ganzá e pandeiro/ Um namoro maneiro/ A morena tem que beijar/ Tem que gostar do beijo/ Pra gostar de ser beijada/ No coco de embolada/ E na pancada do ganzá”. Pronto, tá dito. E Elba se espalha na melodia, dá a impressão de ter gravado dançando pelo estúdio a passos curtos e abraçada na própria cintura, aí a música fica ainda mais linda.

Pra virar xodó, de João Gonçalves e Fuba de Taperoá, levanta mais ainda a poeira, Elba domina e tá dominado (tá tudo dominado). A dona da festa é generosa e abre mais espaço no salão, é pra se mexer nem que seja na cadeira, feito eu agora. Mas se você estiver ouvindo sozinho também, convide alguém pra ouvir junto... vai rolar um clima.

Em Entre o céu e o mar, mais uma vez Elba me empresta a voz e me deixa quieto, só ouvindo. Roger Henri conhece música de perto e de todos os lados, as melodias dele quase que já vem com letra, já é poesia, e eu só tive o privilégio da tradução desse sentimento. Obrigado, Elba.

Forró de Surubim, de Antônio Barros, faz a poesia esconder a saia das moças no salão e aperta o espaço, mas é pra apertar mesmo, pra encher qualquer boa casa de forró. Eu conheço Surubim, a cidade, e parece que tá sendo tocada de lá, de tão bem executada – o clarinete de Dirceu Leitte arrasa.

Lua vadia, de J. Michiles, faz carinho no céu, uma declaração de amor à lua “Lamparina do universo/ Do meu verso solitário/ Minha reza, meu rosário/ Meu diário, meu cordel”. A voz de Elba empresta mais brilho ainda, é céu iluminado.

O amor é lindo, da não menos linda família Gadelha, de Tony, Afonso e Glorinha Gadelha, é lindo mesmo, podia começar assim: “Quando você me ouvir, amor/ Não me negue o sentimento...”. É inevitável sensação de afirmação do sentimento do amor dito da maneira mais convincente que existe: com amor na voz.

Estrela soberana, de Elba e Geraldo Azevedo, é pra se ouvir “rezando”, é prece. Dessas músicas que surpreendem primeiro o autor e cria um efeito dominó que segue surpreendendo até o ultimo ouvinte, que, como não existe, não vai parar de ser ouvida nunca. É prece. E se seu CD-player estiver no modo repetição, deixa o violão de Lenine entrar. Entra no mesmo tom, por acaso? Carlo que não, é coisa que cada um busca explicação onde não tem, é somente pra ouvir tudo de novo mesmo.

Deixei por último, de propósito, Se eu tivesse asa, de Geraldo Azevedo e Geraldo Amaral, não somente porque é uma bela canção, com uma assinatura inconfundível do primeiro Geraldo, maravilhosamente acompanhada pelo segundo Geraldo, mas é porque o título me deixou curioso: como assim “Se eu não tivesse asa”, Elba? E não tem?

 

Dudu Falcão

@parent